RSS

Arquivo da Categoria: Segurança Infantil

35 funcionários da Disney presos por abuso sexual de menores

disney_ok_639x300No passado dia 15 de Julho a CNN divulgou uma investigação desenvolvida durante seis meses, onde averiguou registos de polícia e dos tribunais sobre casos de abuso sexual de menores com funcionários da DisneyWorld, o famoso parque temático (Florida, EUA). Foram também entrevistados agentes da autoridade e alguns dos detidos (ver vídeo).

A investigação remonta ao ano de 2006, e desde então foram detidos 42 funcionários de parques temáticos, sendo a sua maioria da DisneyWorld – 35 pessoas – , dois da Seaworld e cinco do Parque Temático Universal Studios. Do total dos apreendidos, 32 foram efectivamente condenados a pena de prisão, os restantes têm os processos a decorrer. De referir que neste mês de Julho, foram apreendidas 16 pessoas. Os funcionários dos parques temáticos exerciam funções muito distintas, como seguranças, um guia turístico, um animador, empregados de lojas de presentes, empregados de manutenção e inclusive um pastor.

Nenhuma das acusações tem por vítimas crianças ou jovens que visitavam o parque, mas sim solicitação de menores (para práticas de abuso sexual) e pornografia infantil com menores que estes predadores sexuais criavam contato on-line. Em apenas dois dos casos a acusação ocorreu nas instalações da Disney, ambos referentes a pornografia infantil.

Num comunicado à CNN, a porta-voz da Disney – Jacquee Wahler – afirmou: “Proporcionar um ambiente seguro para as crianças e famílias é uma responsabilidade que levamos muito a sério. Nós temos vastas medidas implementadas no lugar, incluindo inquérito pessoal e investigação de antecedentes criminais, bem como monitorização dos computadores e firewall”.

Uma das medidas defendidas por várias entidades no combate ao abuso sexual de menores por trabalhadores, é o uso do polígrafo nas entrevistas de profissionais que trabalham com menores de idade, porém o congresso, a sociedade civil e defensores da liberdade cívica tomam esta prática como ilegal.

A Disney assegura que os seus parques temáticos são seguros e que estas detenções são uma ínfima parte do total dos trabalhadores: apenas um centésimo de um por cento do total de 300 mil funcionários.

Sendo obviamente enorme a responsabilidade pela proteção dos menores das entidades patronais, a família tem também um papel fundamental no esclarecimento e proteção das suas crianças, nomeadamente do uso correto, consciente e cauteloso deste mundo virtual que se pode tornar tão perigoso. Recomendo uma das Associações que tem um papel importantíssimo na prevenção e uso assertivo da internet: o Projecto Miúdos Seguros na Net (facebook). Informação e controlo parental são as armas mais eficazes no combate ao crime cibernáutico contra menores.

Fontes: CNN (com vídeo)

Anúncios
 

Etiquetas: ,

Papa cria comissao no combate ao abuso sexual de menores na igreja

Papa-Francisco-bênção-480x270O Papa Francisco decretou esta semana a criação de uma comissão de luta contra o abuso sexual de menores na igreja.

Esta comissão vai ser composta por peritos – religiosos e laicos – cuja missão ainda não foi divulgada, porém sabe-se que vai envolver a elaboração de códigos de conduta para clérigos e outros responsáveis da igreja, melhorar o sistema de avaliação de potenciais padres, estruturar formas de apoio as vítimas e formas de uma melhor e efetiva coordenação com as autoridades civis.

Esta é a primeira iniciativa do Papa Francisco em resposta à crise que a igreja católica atravessa, como consequência das acusações que o Vaticano nada tem feito para proteger as crianças do abuso sexual nem penalização dos abusadores.

Sobre esta iniciativa do Papa Francisco, David Clohessy – Diretor da SNAP (Rede de Sobreviventes dos que foram Abusados por Padres) afirma que a nova comissão não tem qualquer significado (…) É como dar um penso rápido minúsculo a um doente com cancro em fase terminal. Clohessy alega que as correções de uma instituição devem ter origem externa, e que devem, na prática, ser mais do que comissões ou estudos (fonte) e que a única forma de efetivamente se protegerem as crianças seria a igreja punir os bispos negligentes e obrigá-los a divulgar os nomes dos molestadores (fonte)

A declaração encontra-se disponível aqui.

Fontes: Jornal Publico, Jornal de Notícias , Agência Reuters

 
 

Etiquetas:

Relatório APAV – 2012

No ano de 2012 a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima – APAV atendeu 887 crianças/jovens vítimas de crime, dos quais 55% com idade inferior a 11 anos.

Quanto à caraterização destas famílias, 41,3% das vítimas provém de famílias nucleares (com ambos os progenitores) com filhos e 26,3% de famílias monoparentais. Os abusadores foram na maioria dos casos @s progenitores (em 619). De realçar que 24% destes têm dependência alcoólica. A maior parte dos crimes foram perpetrados em casa das crianças (65%).

Em termos geográficos, o distrito com maior volume processual foi Lisboa com 80 casos, seguido dos Açores com 44 casos, Faro com 37 e Vila Real com 20.

Estes números mantém-se preocupantes, com a agravante de terem sofrido um aumento de 29% relativamente ao ano de 2010. Por outro lado, também significa que a APAV é uma entidade reconhecida pelos cidadãos – incluindo as crianças – como uma entidade a quem recorrer em caso de perigo.

Fonte: Jornal Público

 

Aliança mundial no combate ao abuso sexual de menores na internet

ddasd

A Comissão Europeia formalizou hoje uma aliança entre 48 países que se unem no combate ao crime de abusos sexuais de menores na internet. Anualmente mais de um milhão de imagens de crianças abusadas e exploradas sexualmente circulam na internet. Segundo dados da ONU, este crime rende aos criminosos cerca de 250 milhões de euros.

Cecília Mlamstrom (na imagem) – Comissária Europeia para os Assuntos Internos – afirma que é necessário reduzir significativamente a presença de fotografias e vídeos na Internet. Precisamos de identificar e salvar mais crianças, de ter mais campanhas de sensibilização junto dos pais, de informar as crianças do que pode acontecer quando colocam as suas imagens na Internet e de levar mais criminosos a julgamento.

Esta aliança visa intensificar os esforços na identificação das vítimas para consequente assistência, apoio e proteção; além de visar a investigação de casos de abusos sexuais de crianças na internet, nomeadamente na identificação e punição penal dos criminosos. Mas outros objetivos estão inerentes à aliança, como a sensibilização das crianças para os riscos que a internet acarreta, a redução de material pornográfico infantil e a prevenção deste tipo de abusos.

Aos 27 estados-membros da União Europeia juntaram-se outros 21 países: Albânia, Austrália, Camboja, Croácia, Geórgia, Gana, Japão, Moldávia, Montenegro, Nova Zelândia, Nigéria, Noruega, Filipinas, Sérvia, República da Coreia, Suíça, Tailândia, Turquia, Ucrânia, Estados Unidos e Vietname.

Lamentavelmente a Rússia não se quis incluir na aliança. O que não se compreende pois além de ser uma nobre causa, cerca de nove mil páginas de pornografia infantil têm origem neste país. Como refere Eric Holder – Procurador-Geral dos EUA – é através de uma aliança mundial que os sucessos de operações policiais transnacionais passadas que desmantelaram redes internacionais de pedofilia, que melhor se pode proteger as crianças de todo o mundo.

Esta aliança não é vinculativa, porém os países que a assumem, comprometem-se a partilhar informações e práticas policiais de sucesso. Em 2011 a operação Rescue da Europol permitiu identificar 670 suspeitos de abuso e exploração sexual de menores e de pornografia infantil em todo o mundo. Destes, 184 cumprem pena de prisão. Esta operação permitiu colocar sob proteção 230 crianças.

Fontes: Jornal Público, Pt Euronews

 

Etiquetas:

Abuso sexual e pornografia infantil | novas regras

O Parlamento Europeu aprovou no dia 27 de Outubro uma diretiva que prevê o agravamento das sanções penais contra pessoas que abusem sexualmente de menores ou que acedam a pornografia infantil na internet.

Já aqui no blog havia apresentado esta proposta de Roberta Angellini, aprovada em 12 de Julho deste ano pelo Parlamento Europeu, no artigo Pornografia e exploração infantil | nova legislação.

Esta resolução legislativa foi aprovada no Parlamento Europeu por 541 votos a favor, 2 contra (?) e 31 abstenções.

As novas regras estão descritas no site do Parlamento Europeu, neste link.

 
 

Etiquetas: ,

Crianças Desaparecidas | Manual

A Associação Portuguesas de Crianças Desaparecidas [APCD] publicou este ano, no dia 25 de Maio – assinalando o Dia Internacional da Criança Desaparecida – o manual de Segurança Infantil, Desaparecimento de crianças, Utilização de Internet, intitulado “Guia para pais e educadores”. (link para download)

Nele encontramos orientações importantíssimas sobre a prevenção dos crimes de rapto, quer em casa, em espaços públicos ou mesmo em hospitais (no caso de recém-nascidos). O Guia inclui alguns ensinamentos a transmitir aos filhos e as formas mais adequadas de lhes explicar os riscos existentes e os riscos que eles próprios estão sujeitos. Inclui também o crime de rapto por progenitores, apresentando os seus contornos específicos.

No Guia encontramos também orientações para agir em caso de desaparecimento de uma criança, não só na sua denúncia mas no papel a desempenhar na sua procura e recuperação.

A última parte dedica-se à questão do abuso sexual e exploração sexual de menores, em concreto sobre como detetar se estes tipos de crimes foram cometidos contra o menor.

Na parte final do guia são apresentadas regras para manter o seu filho protegido enquanto utilizador de internet.

Muito interessante e útil este manual.

 

Etiquetas:

Segurança infantil: 10 “Deves” e “Não Deves” fazer

É competência dos pais e das mães ensinarem as crianças a agirem com segurança, nomeadamente com quem se relacionam, o que fazem e por onde andam. Tod@s concordamos que não é tarefa fácil, mas a maternidade/paternidade não é apenas feita de sucessos, alegrias e orgulhos; de mão dada com ela andam frustrações, ansiedades, medos – inúmeras vezes infundados – incertezas e zangas. Mas ainda bem que andam, significa que o papel educativo está a ser assumido e executado. De lamentar (e a ser corrigido) são as situações em que as crianças se auto educam, em que são elas próprias que impõem as regras pelas quais se regem e ditam as suas vontades como ordens.

Encontrei, no site ChildHelp, um pequeno artigo que achei interessante e como tal partilho convosco. O artigo dirige-se aos pais e às crianças (a partir da idade escolar) e contempla 10 DEVES e NÃO DEVES. São simples e práticos conselhos preventivos que, a serem seguidos, podem evitar fatalidades.

1)  Criança: Diz aos teus pais onde vais, com quem vais estar e a que horas estarás em casa                         Pais: Decidam o que querem que ela faça se estiver em casa de amigos, sem a presença dos pais. Deve telefonar-lhe? Deve voltar para casa?

2) Criança: se tu e o teu amigo estiverem ao computador em tua casa, e uma imagem “yarrr” surgir no monitor, sai do computador e conta a um adulto o que aconteceu                                                             Pais: Se o seu filho ou uma criança que conheça lhe conta uma experiência destas, oiça e analise os controlos parentais instalados no computador de casa.

3) Criança: Se estás na rua a brincar com um grupo de amigos e um adulto ou um miúdo mais velho que tu “parece que conheces” da tua vizinhança, te diz para ires a sua casa para comer doces, não vás e conta a um adulto da tua confiança o que aconteceu.

4) Criança: Não abras a porta a ninguém quando estás em casa sozinho                                                 Pais: Decidam se querem que o vosso filho atenda o telefone quando está sozinho em casa. Se atender, o que querem que ele diga?

5) Criança: Se atenderes o telefone e não estiver mais ninguém em casa, não digas a quem telefonou que estás sozinho em casa

6) Criança: Não entres no carro de ninguém a não ser que os teus pais te disseram que podes                   Pais: Digam  aos vossos filhos as pessoas de quem eles podem aceitar boleia. Considerem definir uma palavra código que signifique que é seguro apanhar boleia daquela pessoa, que só você, a criança e o condutor saibam

7) Pais: Falem com os vossos filhos sobre adultos na sua vida em que podem confiar. Assim, caso a criança esteja preocupada com alguma coisa ou alguém, sabem a quem podem contar.

8- Criança: Telefonem atempadamente aos vossos pais caso vejam que se vão atrasar a chegar a casa. Dessa forma os vossos pais não ficam preocupados.

9) Criança: Se uma criança que tu conheces diz que os seus pais não se importam que vás com ela para sua casa depois da escola, e tu não confirmaste com os teus pais – não vás. Em vez disso, pergunta-lhe se podes ir noutro dia

10) Criança: Se estiveres num acampamento e outro miúdo te tirar o teu almoço, roubar o teu dinheiro ou meter-te medo, conta a um adulto da tua confiança e pede ajuda.                                                             Pais: Novamente, falem com os vossos filhos sobre os adultos na sua vida em quem eles podem confiar


Fonte: Childhelp

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 25 de Agosto de 2011 em Segurança Infantil

 

Etiquetas:

 
%d bloggers like this: